• Raiane Cardoso

Tyler Wright faz protesto em favor do movimento "Black Lives Matter"

A surfista Tyler Wright fez um protesto em solidariedade do movimento "Black Lives Matter" no primeiro dia do Tweed Coast Pro Contest, o primeiro evento do Australian Grand Slam of Surfing da Liga Mundial de Surf (WSL). Tyler se ajoelhou, manteve uma mão para o alto com punho cerrado e tinha em sua prancha a frase "Black Lives Matter" ("Vidas Negras Importam", em português).



Tyler passou 439 segundos em protesto, mais de sete minutos. A bateria - que foi entre Tyler Wright, Sally Fitzgibbons e Molly Picklum - começou sem a surfista. Mesmo perdendo alguns minutos de bateria, a surfista saiu vitoriosa e seguiu para as quartas de final.


A surfista publicou uma nota em seu Instagram, que também foi transmitida ao vivo durante o seu ato, explicando o seu protesto. Segue a nota na íntegra:


"Antes de ser uma atleta, eu sou um ser humano. Então hoje, antes da minha bateria no Tweet Coast Pro, eu vou me ajoelhar em solidariedade ao Black Lives Matter. Estes são tempos decisivos e eu estou muito longe de ser perfeita, mas acredito profundamente na busca por justiça racial e equidade para todos. Eu entendo que meu privilégio como pessoa branca e ter essa plataforma na comunidade do surf significam que eu tenho a opção de falar e fazer algo... e que nem todos têm essa oportunidade. Eu preciso dizer e fazer mais e estou comprometida em desafiar e mudar os sistemas que continuam a descriminar e oprimir pessoas de origens diferentes.


Esse é um comprometimento pra vida toda e começa avaliando meus próprios preconceitos, estereótipos e vieses - algo que tenho passado muito tempo fazendo ultimamente. Eu encorajo outros a escutarem e se educaram sobre as experiências dos outros, enquanto compreendem que aprender sobre racismo é um privilégio, comparado a sofre-lo em todos os aspectos da vida.


Todos vivemos em um sistema racista e preconceituoso, que descrimina, desumaniza e continua a oprimir pessoas negras, indígenas e de cor. Apesar de ser desconfortável reconhecer isso, não reconhecer privilégios e preconceito é algo que ameaça outras vidas. Quando falamos de raça, estamos falando da vida das pessoas.


Hoje, estou me ajoelhando em solidariedade ao Black Lives Matter. Eu vou me ajoelhar por 439 segundos - um segundo por cada pessoa da ‘primeira nação’ da Austrália que perdei sua vida em ações da polícia desde 1991.


Eu entendo que nunca vou entender.


Estou aqui pra escutar, aprender e usar o meu privilégio e oportunidade para encorajar outros a fazerem o mesmo.


O surf é para todos."


Rhonda Harper, fundadora da Black Girls Surf, organização sem fins lucrativos que treina mulheres e meninas negras para que se tornem surfistas profissionais e assim trazer mais representatividade para o esporte, comentou na postagem da nota no Instagram de Tyler: "Estou muito orgulhosa de você por esse momento. Muitos ficarão com raiva ou chatedos. Você pode até receber ameaças de morte mas saiba que nós vemos você e a apoiamos por estar defendendo o que é certo. Vidas Negras Importam", disse.


O Tweed Coast Pro aconteceu hoje e amanhã (13) a competição continua. A praia de Cabarita é quem recebe os melhores surfistas da Austrália e você pode acompanhar no site da WSL.


Contem para a gente: o que vocês acharam do protesto da Tyler Wright?

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Pinterest - Círculo Branco

Contato

COPYRIGHT © 2019, PORTAL MANASURF . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.