• Fernanda Bahia

Tweed Coast Pro: surf feminino foi destaque nos dois dias de evento na Austrália

O Tweed Coast Pro, primeiro evento do Australian Grand Slam, que está rolando na Austrália, nos meses de setembro e outubro, aconteceu nas manhãs de domingo e segunda, na praia de Cabarita, em New South Wales, na Austrália. O evento contou com alguns dos melhores surfistas australianos, e foi o retorno das competições ao oceano, desde o início das paralisações por conta da pandemia do covid-19.

Estrutura do evento sem plateia na praia de Cabarita | Foto: WSL/Divulgação

O primeiro dia de evento começou devagar, com os meninos na água. Na segunda bateria, a visita de um tubarão, na área próxima de onde estavam os surfistas, parou o evento por pouco tempo mas só para provar que a WSL já está pronta para lidar com essas situações. A resposta rápida dos jetskis para tirar os surfistas da água mostrou que há preparo para lidar com os animais, que são comuns na costa australiana.


Já o maior destaque do evento, aconteceu no primeiro round das mulheres, quando Tyler Wright fez um protesto em solidariedade ao movimento "Black Lives Matter" - vidas negras importam, em português -, ajoelhada na praia por cerca de 7 minutos. Tyler chamou atenção, com o seu ato, para a vida das populações das "primeiras nações" australianas, negros e pessoas de cor, que sofrem com o racismo e a violência policial no país.


Falando em Tyler, a bicampeã mundial mostrou a que veio durante todo o evento, com uma performance consistente e boas pontuações em todas as suas baterias. O surf feminino foi o destaque do evento, com Stephanie Gilmore e sua lycra amarela também mostrando seu surf no retorno às competições. As meninas estavam com as expectativas altas para 2020, principalmente as rookies que planejavam um ano de preparo para conquistar o CT no ano seguinte, mas viram os planos paralizados pelo coronavírus. Para elas, esse foi o momento para mostrar que andaram treinando dentro e fora d'água nesse meio tempo.


Tyler e Stephanie Gilmore avançaram com tranquilidade durante suas baterias, com pontuações altas contra as adversárias. A final foi um replay do último evento do CT de 2019, quando as duas competiram no Lululemon Maui Pro. Dessa vez, foi Tyler quem levou a melhor, com um somatório de 15.67, e uma bateria que reforçou a sua vontade e determinação de ganhar esse evento.


Tyler recebeu algumas críticas em seu Instagram, após o ato do primeiro dia de evento, e alguns "fãs" do esporte chegaram a afirmar que a surfista estaria abrindo mão do surf para se tornar militante. Sua resposta foi um surf de ataque com uma performance incrível, chegando na final e ganhando o evento com tranquilidade. O prêmio de AU$20.000 será doado para uma instituição que ajuda crianças e jovens aborígenes, mais uma maneira que encontrou de ajudar no movimento Black Lives Matter. Segundo ela:

"Esse evento também foi muito importante para mim, ao me posicionar em favor de justiça social e igualdade, em solidariedade ao Black Lives Matter. Foi uma oportunidade incrível, para mim, trazer a questão para o surf e eu sou grata por isso."

O Australian Grand Slam segue até o final de outubro, com mais dois eventos. Fiquem atentos ao ManaSurf, que iremos avisar no Instagram quando o próximo evento for confirmado. E enquanto isso, nessa sexta-feira, 18 de setembro, tem Onda do Bem, em alguma praia secreta do Brasil, com surfistas profissionais e celebridades numa espécie de gincana e muito surf noturno.

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Pinterest - Círculo Branco

Contato

COPYRIGHT © 2019, PORTAL MANASURF . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.