• Fernanda Bahia

No Hawaii, uma resolução em prol da equidade de gênero no surf está em votação

O Comitê pela Equidade no Surf Feminino (CEWS) apresentou a resolução no dia 22 de janeiro na Câmara Municipal de Honolulu


Em reunião com o Comitê de Parques, Serviços Comunitários e Questões Intergovernamentais, o CEWS apresentou uma resolução que busca um compromisso dos órgãos governamentais com a equidade de gênero no surf no North Shore. A resolução 20-12, apresentada na ocasião, foi aprovada de forma unânime pelos órgãos presentes. Hoje, quarta-feira, 29 de janeiro, ela entra em votação novamente, agora com toda a Câmara Municipal.


A questão levantada pela resolução e pelo CEWS é a ausência das mulheres nos eventos de Honolulu e praias do North Shore, berço do surf e cenário de algumas das competições mais tradicionais do surf mundial. A intenção é criar um compromisso de órgãos governamentais com a equidade de gênero em eventos que sejam sediados nessas praias.


O argumento é que, já que esses órgãos têm um papel importante na permissão desses eventos, são necessárias novas regras que fomentem a presença das mulheres. Isso porque, se tantos passos já foram dados em direção a equidade, principalmente a de prêmios iguais, a ausência das mulheres nos eventos oficiais de surf podem ser uma brecha para a discriminação delas no esporte.


A resolução abre espaço para muitas mudanças, inclusive no WCT. Isso porque, se aprovada e colocada em prática da forma como está no texto, pode se tornar obrigatória a participação das mulheres como condição para que eventos de surf sejam sediados no North Shore. Ou seja, seria obrigatória a presença das mulheres nas etapas do mundial da Triple Crown Havaiana (uma premiação à parte composta, pelas três etapas do mundial que acontecem no Hawaii: Sunset Beach, Haleiwa e Pipeline). E a final do WCT, que acontece na praia vizinha de Pipeline, Honolua Bay, seria junto com a dos homens.


Além disso, a resolução pede que o Mayor’s Surf Advisory Comittee – algo como o comitê consultivo de surf do prefeito de Honolulu, um órgão civil que se reúne com o prefeito para falar das questões relacionadas ao surf – que hoje é composto só por homens, tenha pelo menos metade dos membros do gênero feminino.


A discussão em torno dessa resolução se dá por pressões vindas de uma aliança de mulheres influentes no surf havaiano. Betty Depolito, organizadora de eventos de surf feminino no North Shore, a Carol Philips, do North Short Surf Girls e o CEWS são as principais agentes desse movimento.


Update: a resolução foi aprovada pela Câmara Municipal de Honolulu após testemunhos orais e escritos. A notícia já foi, inclusive, compartilhada no Instagram da WSL.

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Pinterest - Círculo Branco

Contato

COPYRIGHT © 2019, PORTAL MANASURF . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.