• Raiane Cardoso

"Onda do Bem": saiba como foi o evento beneficente da WSL

Ontem, 19 de setembro, a praia de Itamambuca em Ubatuba, cidade do litoral paulista, recebeu o "Onda do Bem", evento inédito e beneficente da Liga Mundial de Surf (WSL). 25 surfistas - profissionais e celebridades - se enfrentaram em vários desafios ao longo da tarde e da noite e os grandes vencedores foram Érica Prado, Paulo Zulu, Silvana Lima, Ítalo Ferreira e a Equipe Rio.



Foram cinco desafios: as baterias das celebridades e as dos surfistas profissionais feminino e masculino, o desafio de aéreos apenas com os homens e o desafio de equipes, que finalizou o dia. O evento começou com a bateria das celebridades. A free surfer e atriz Marina Werneck, a atriz Danni Sukuzi, a atriz e apresentadora Larissa Murai, a surfista Alana Pacelli e a jornalista e também surfista Érica Prado foram os nomes que disputaram a bateria.


Após uma disputa acirrada entre Marina Werneck, Érica Prado e Alana Pacelli, Érica foi a grande campeã da bateria. Ao sair da água, Érica agradeceu e fez um discurso importante e emocionado sobre a falta de representatividade de surfistas negros na mídia e nos eventos do esporte.


Já a bateria masculina das celebridades foi disputada entre o produtor musical Papatinho, o ator Klebber Toledo, o ator e modelo Paulo Zulu, o ator Paulo Vilhena e o ex-judoca Flávio Canto. Quem levou a melhor e foi o grande vencedor foi Paulo Zulu.


Logo após veio a disputa de super aéreos entre os surfistas profissionais Ítalo Ferreira, Yago Dora, Jadson André, Lucas Chianca, Lucas Vicente, Wiggolly Dantas, Peterson Crisanto, Deivid Silva, Adriano de Souza e Miguel Pupo. O atual campeão mundial de surf Ítalo Ferreira foi quem venceu o desafio.


No feminino profissional, Chloé Calmon, Silvana Lima, Júlia Santos, Júlia Duarte e Karol Ribeiro se enfrentaram em uma bateria acirrada. Karol, Chloé e Silvana disputaram a bateria até o final. Karol teve a maior nota da bateria, um 5,17 e Chloé quase conquistou o troféu na sua última onda, mas foi a veterana Silvana Lima que levou a melhor e foi a grande campeã feminina profissional do evento.


Durante a primeira bateria do surf masculino profissional, o dia deu lugar para a noite e então o show de pranchas com LED começou. Em uma final acirrada, Ítalo Ferreira virou Yago Dora e foi o grande vencedor do masculino profissional. A diferença de nota entre os dois foi de um décimo, o somatório de Ítalo foi 13,64 e o de Yago foi 13,63.


Os surfistas comentaram, ao longo da noite o evento da dificuldade e desafio de surfar de noite. As luzes de LED na prancha ajudavam a pegar as ondas mas, ao mesmo tempo, atrapalhavam os surfistas a voltarem para o outside. Com pouca luz, os surfistas tinham que confiar mais nos seus sentidos para conquistar um bom desempenho.


Por último foi o desafio de equipes. Com cinco equipes e cinco pessoas em cada, sendo três surfistas profissionais e duas celebridades por equipe, os times se enfrentaram em uma bateria de 50 minutos e com esquema de revezamento.


Cada surfista podia pegar duas ondas e precisava sair da água e ir até os boxes para passar a vez para o próximo membro de sua equipe, todos na ordem escolhida pelo capitão do time. A Equipe Pipeline começou a disputa liderando mas terminou como vice, com a Equipe Rio sendo a grande campeã da noite.


O evento aconteceu sem plateia e, com o objetivo de evitar possíveis aglomerações, o local do evento só foi revelado no final do dia.


O próximo evento da WSL será o Boost Mobile Gold Coast Pro, a segunda etapa do Australian Grand Slam of Surfing, que ainda não tem data definida.

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Pinterest - Círculo Branco

Contato

COPYRIGHT © 2019, PORTAL MANASURF . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.