• Fernanda Bahia

Maui Pro está de volta e pela primeira vez as meninas vão competir em Pipeline

Na manhã desta quinta-feira, 17 de dezembro, a WSL anunciou o fim da suspensão do Maui Pro e do Pipe Masters, e a primeira chamada deve rolar já nessa tarde, as 14h. O anúncio veio com uma novidade inédita: as meninas vão surfar Pipeline.

Depois de um ano conturbado e o tour mundial 2020 cancelado, o retorno do CT não está sendo simples. Após o Maui Pro ter sido cancelado indefinidamente, por conta de um incidente com um tubarão e uma vítima fatal, Pipe Masters foi suspenso por conta de testes positivos de covid, inclusive do CEO da WSL, Erick Logan.


A WSL se manteve em silêncio por alguns dias até entender quais medidas seriam tomadas para o retorno do CT. Hoje cedo, a volta de Pipe foi confirmada, junto com o anúncio de que as meninas surfariam Pipeline, pela primeira vez em competição.


As condições do mar parecem promissoras, com um swell de noroeste entrando em Pipe e ondas de 8 a 12 pés previstas já para essa quinta-feira. Já na sexta e no sábado, o swell perde um pouco de força, mas no domingo, que seria o último dia da janela de Pipe Masters, volta a crescer o mar.


Carissa Moore em Honolua
Carissa Moore em Honolua | Foto: WSL/Keoki Saguibo

De qualquer maneira, as finais do Maui Pro prometem algumas emoções. A etapa chegou às quartas de final antes de ser paralisada, faltando a bateria entre Tati Weston-Webb e Sage Erickson para definir quem iria para as semis. Tyler Wright e Sally Fitzgibbons já estão definidas na primeira bateria, e a atual campeã mundial, Carissa Moore, aguarda a definição de quem irá enfrenta-la na luta pela vaga na final.