• Fernanda Bahia

Final histórico para uma etapa histórica: convidada local Moana Jones vence em Pipeline

A local wildcard Moana Jones, de 22 anos, foi a primeira mulher a vencer uma etapa feminina em Pipeline, um final histórico para um evento histórico. A surfista derrotou a bicampeã mundial Tyler Wright nas semifinais, e depois levou a melhor contra a pentacampeã mundial Carissa Moore, na final.

Moana Jones e Carissa Moore, campeã e vice-campeã em Pipeline

Fotos: WSL/Heff e Bielmann


A derrota da atual campeã mundial e líder do ranking veio nas esquerdas de Pipeline, em um mar grande, contra as ondas de Backdoor de Carissa, que não estavam tão boas quanto. Moana surfa em Pipe desde os 12 anos, e foi coroada "Rainha de Pipe", por ter sido a primeira mulher a ganhar um evento no local ao lado dos homens no CT.


A atleta provou nas suas baterias que sua intimidade com Pipe é essencial na hora de se arriscar nos drops, principalmente no dia da final, com ondas maiores. Não a toa, na bateria contra Moore, a diferença de pontos foi de 14.34 para Moana, e apenas 3.73 para Carissa.

Tyler Wright em Pipeline
Tyler Wright em Pipeline | Foto: WSL/Heff

Tyler Wright e Lakey Peterson foram as atletas que ficaram nas semifinais. Tyler, que foi campeã do Maui Pro de 2021, que acabou em Pipe, estava buscando repetir o feito, mas acabou derrotada por Moana. Lakey perdeu para Carissa, depois de uma virada épica nas quartas de final contra a francesa Johanne Defay.


Foi nas oitavas que a brasileira Tatiana Weston-Webb foi eliminada, pela campeã da etapa. E foi nessa fase que a lenda Bethany Hamilton também foi eliminada, por Carissa Moore. Bethany foi convidada para competir depois que Stephanie Gilmore não pôde surfar, por estar seguindo os protocolos de saúde, depois de ter testado positivo para o COVID.


Foi também nas oitavas de final que as novatas do Championship Tour foram eliminadas. As cinco rookies do tour desse ano avançaram nos primeiros rounds, enquanto algumas veteranas, como Caroline Marques e Courtney Conlogue ficaram no round eliminatório.

Kelly Slater campeão de Pipeline
Kelly Slater campeão de Pipeline | Foto: WSL/Heff

O evento feminino em Pipe foi épico, como era de se esperar. As mulheres surfaram no que foi, provavelmente, a melhor condição em Pipeline por muito tempo. E o masculino também fez história, com a vitória do Kelly Slater, a alguns dias de o surfista lendário completar 50 anos.



O Brasil chegou até as semifinais do masculino, com dois surfistas, o veterano Miguel Pupo e Caio Ibelli, wildcard que foi convidado para o evento após a notícia de que Gabriel Medina não iria para o Hawaii.


A próxima parada do CT é em Sunset Beach, outro evento histórico, por estar no calendário tanto masculino quanto feminino. Isso porque, há 30 anos que as mulheres não surfam junto com os homens nessa etapa histórica.